Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Ministério dos Livros

Um blog sobre livros e seus derivados

Novidade - "A repartição do yin e do yang" de Eduardo Mendoza

22.06.22

4d50.jpeg

Mais sobre o livro aqui

Sinopse:

Na primavera de 1975, Franco tem os dias contados. Inquieto e estimulado pelos ares de mudança que se começam a respirar em Espanha, Rufo Batalla prepara o seu regresso a Barcelona. Quando está prestes a deixar Nova Iorque, recebe uma peculiar proposta do príncipe Tukuulo relacionada com o disparatado plano de reconquista do trono da Livónia, um país hoje inexistente.

Sabendo que Tukuulo aparece na sua vida tão alegremente como desaparece e que o manipula a seu bel-prazer, Rufo deixa-se levar pela admiração e sincero afeto que sente por ele, aceitando uma missão muito incerta no Oriente. Ali chegado, descobre que aquele não é o último nem o único destino de tão louca aventura.

Em A repartição do yin e do yang, Eduardo Mendoza dá continuidade à tarefa iniciada anteriormente em O rei recebe – a de percorrer de forma bastante lúcida e com grande sentido de humor alguns momentos históricos, culturais e sociais do século xx.

CRÍTICAS DE IMPRENSA
 
Gargalhadas – é o que a certa altura desperta a leitura de A repartição do yin e do yang (Porto Editora): uma reconstituição do final do século XX com uma dose inconveniente de humor, disparate e sentido de história.

Francisco José Viegas, Correio da Manhã

Um olhar brilhante, no conteúdo e na forma, que sobrevoa as últimas décadas do século passado.

ABC Cultural

[…] em última instância, um livro sério e reflexivo numa fascinante loucura romanesca.

El Cultural

«Divertidíssimo, errático até onde o autor quer (tendo o leme bem agarrado), com A repartição do yin e do yang regressa o melhor Mendoza.»

El Mundo

«Todas as páginas do livro são puro prazer.»

La Opinión de Málaga

«Com a mestria habitual, Eduardo Mendoza constrói para a personagem Rufo Batalla uma nova aventura que é, ao mesmo tempo, uma comédia de enredo e uma narrativa de intriga folhetinesca.»

Babelia