Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Ministério dos Livros

Um blog sobre livros e seus derivados

Audiolivro - “No Início, Eram Dez…” de Agatha Christie

15.05.21

Uma das últimas compras (21).png

Mais sobre o livro aqui

Depois de ter lido “Um Crime do Expresso do Oriente” recebi duas sugestões de leitores indicado que se tinha gostado desse livro deveria ler “No Início, Eram Dez…”. Alegadamente será um dos melhores livros da autora, argumento que, entretanto, já confirmei ser partilhado por muitos leitores. É inclusive o favorito dos fãs e, segundo consta, o livro policial mais vendido de todos os tempos.

Pois bem, não posso atestar se é o melhor da autora, porque não tenho (ainda) uma base de comparação muito completa, mas posso dizer que é efetivamente um livro brilhante. Disso não há dúvidas.

Do ponto de vista da criatividade, construção da história e dos personagens é, sem sombra de dúvida, extremamente bem conseguido.

Qual é a base da história? A sinopse descreve-a perfeitamente:

“Dez pessoas visitam uma ilha a convite de um desconhecido. Durante o jantar na elegante mansão, todos eles são acusados de esconder um segredo. O anfitrião mantém-se invisível e misterioso, dele apenas se ouve a voz. A partir dessa noite, os convidados vão sendo assassinados, um a um.”

Tendo sido escrito nos anos trinta, onde não havia subterfúgios tecnológicos nem gadgets que facilitassem alguns processos na história, ou ajudassem as personagens, tudo se centra na capacidade de contar uma história, de levar o leitor ao engano, de esconder a verdade, e, para tudo isso é preciso muita arte. Este é um livro escrito com arte.

Num curto espaço de tempo ouvi dois livros de Agatha Christie e tenho impressão de que não vou ficar por aqui. Numa fase de maior desgaste psicológico ouvir um livro com este é um verdadeiro bálsamo.

Se o leitor procura um bom livro de entretenimento, para umas horas descontraídas, este é um livro para si. Um clássico de qualidade superior. E boa sorte a tentar desvendar o mistério. Eu só por uma vez passei pela resposta certa, mas desconsiderei, no final estava a leste da verdade.