Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ministério dos Livros

Um blog sobre livros e seus derivados

Novidade - "As Provadoras de Hitler" de Rosella Postorino

18.02.20

asdadas.jpg

Mais sobre o livro aqui

Sinopse:

Prússia Oriental, outono de 1943. Hitler esconde-se na Wolfsschanze - a Toca do Lobo -, o seu quartel-general oculto na floresta. As perspetivas de vencer a guerra começam a esboroar-se e os seus inimigos aproximam-se cada vez mais.
Dez mulheres são escolhidas.
Dez mulheres para provar a comida de Hitler e protegê-lo de ser envenenado.

Rosa Sauer, de 26 anos, perdeu tudo para esta guerra. Os pais morreram e o marido luta na frente russa. Sozinha e sem dinheiro, Rosa toma a fatídica decisão de deixar Berlim devastada pelos bombardeamentos para morar com os sogros no campo, em busca de refúgio. Mas uma manhã, as SS vêm dizer-lhe que foi recrutada para ser uma das provadoras de Hitler: três vezes por dia, ela e nove outras mulheres são levadas para as proximidades da Wolfsschanze, para provar as refeições do Führer. Forçadas a comer o que pode matá-las, na atmosfera turva destes banquetes perversos, as provadoras e os militares das SS traçam alianças insólitas - mas o que é insólito quando se vive no limite? E quando, na primavera de 1944, chega ao quartel o tenente Ziegler, instaurando um clima de terror, um inesperado vínculo nasce entre ele e Rosa.

Vendas no OLX a preços inflacionados

18.02.20

dasda.png

De vez em quando o tema OLX vem aqui à baila. Desta vez faço-o por razões menos favoráveis.

Há algo que me faz alguma confusão nas vendas no OLX. Como já aqui escrevi inúmeras vezes, sou cliente frequente e ativo de compras de livros nesta plataforma. Regra geral acompanhou de perto o que fica disponível para venda, tento comprar pelo preço mais em conta, regateio por vezes, até porque no fundo é por isso que recorro a esta plataforma.

Obviamente que quem vende tem o direito de pedir o valor que entender, e quem compra decide se quer, ou não, comprar, no entanto, tem de imperar, diria eu, a regra do bom senso.

Já me aconteceu por vária vezes encontrar à venda livros normais que estão em circulação (ou seja, não são propriamente relíquias, nem tem nenhum valor adicionado, como por exemplo com um autógrafo), por valores iguais ao preço de editor, ou até mais caros.

Quando refiro preço de editor quero dizer o preço sem qualquer desconto, ou seja, um preço mais alto do que aquele que podemos pagar em qualquer grande superfície, ou numa das maiores livrarias que com cartão de aderente tem sempre 10% de desconto.

Se questiono se o preço está correto, normalmente sou recebido com7 pedras na mão e, como me aconteceu ontem, posso receber uma resposta bruta a dizer “Vendo pelo preço que eu quiser”. E eu respondi. “Certo. Está no seu direito. Fica sem efeito. Alerto apenas que o preço é superior ao valor do preço de editor.” Recebi a seguinte e esclarecedora resposta “Sabes isso porque tu és muito esperto, há quem não saiba”. Literalmente assim. Não respondi.

Ou seja, a pessoa acha que consegues vender um livro mais caro do que o valor real na expetativa de haver alguém que caia na esparrela. E acreditem que não é caso único, já apanhei outros. Este simplesmente colocou por escrito as suas intenções... enfim.