Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ministério dos Livros

Um blog sobre livros e seus derivados

Novidade - "Grande Livro do Futebol Português"

10.11.19

00v.jpg

Mais sobre o livro aqui

Sinopse:

O Grande Livro do Futebol Português é um anuário que visa documentar, época a época, todo o universo do futebol nacional.

O primeiro anuário oficial da FPF é uma homenagem a todos os clubes, associações, jogadores, treinadores, árbitros e dirigentes que representam o Futebol Português, garantindo que a História não se perderá com o tempo.

Um livro inclusivo e que representa todo o futebol português. O Futebol na relva, nos pavilhões ou na praia, jogado pelos clubes portugueses e pelas selecções lusas...praticado por homens e mulheres...desde as camadas jovens até às equipas principais...num âmbito internacional, nacional ou distrital. O Futebol de todos e para todos.

São mais de 12 mil jogadores presentes num livro que inclui todos os resultados, fichas de jogo, classificações, plantéis e as estatísticas que marcaram a época 2018/19.

Novidade - "Discursos" de Mark Twain

10.11.19

0as.jpg

Mais sobre o livro aqui

Sinopse:

Todos os discursos de um dos mais cómicos e sagazes oradores do seu tempo (e, quiçá, de sempre, embora ele discordasse ): Mark Twain

Pode ser mais conhecido por ter escrito as aventuras de Tom Sawyer e Huckleberry Finn, ou pelo muito citado desmentido «as notícias da minha morte são manifestamente exageradas», mas, no seu tempo, sempre que Mark Twain falava em público era um acontecimento. E um acontecimento muito divertido.

Feriados nacionais, aniversários, banquetes de homenagem, cerimónias de graduação, festas de pequenas associações ou grandes eventos de solidariedade - Mark Twain foi convidado para falar em todas estas ocasiões, e aqui, numa recolha de mais de quatro décadas de discursos, prova-se que conseguiu ser sempre memorável. Falou de cigarros, chapéus, bilhar, poesia, impostos e direitos das mulheres, fez brindes de celebração e ofendeu alguns celebrados, mas, acima de tudo, divertiu-se e fez rir. Felizmente, ainda faz.

«Por vezes, um determinado trecho do repertório torna-se incrivelmente relevante durante alguns anos, para depois arrefecer, no momento em que outros problemas sociais passam a ocupar o primeiro plano. É então, porém, que um outro monólogo, que até então ocupou um nicho modesto, útil mas não triunfante, entra em combustão espontânea e exibe com um sorriso irónico a sua compreensão intemporal do nosso mundo tresloucado.» - Hal Holbrook, Introdução

«O meu primeiro antepassado americano, meus senhores, foi um índio. Os vossos antepassados esfolaram-no vivo, e agora eis-me órfão. Eu nem criticaria esse gesto, caso precisassem da pele dele; mas vivo, meus senhores - vivo! Pensem só como o índio se deve ter sentido; é que ele era uma pessoa sensível, que se acanhava com muita facilidade. Deve ter-se sentido despido, depenado como um frango. E despido já ele andava normalmente: deve ter-se sentido duplamente despido.»
Mark Twain, discurso proferido no Primeiro Jantar Anual da Sociedade da Nova Inglaterra da Pensilvânia, 22 de Dezembro de 1881

«Quando Mark Twain entrou em palco com o seu cabelo revolto, dir-se-ia um halo a rodear-lhe a cabeça, e um semblante em que se lia um grande desalento, foi acolhido por uma prolongada salva de palmas. Aparentemente sem recuperar o ânimo, caminhou em passadas largas até ao palanque, apoiou-se nele com a mão direita e começou a falar.»
New York Sun, 19 de Novembro de 1884