Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ministério dos Livros

Um blog sobre livros e seus derivados

Um livro é como uma mala?

05.03.19

Bookworm_Brown_Leather_Shoulder_Bag_a.jpg

 

Um dia destes numa conversa entre colegas de trabalho falava-se sobre como comprar livros sem a intenção clara de os ler no imediato não faz sentido. Um dos participantes até nem concordava inicialmente que fosse uma ideia sem sentido, mas acabou por resvalar para a concordância. O argumento de base é que se não pretendemos ler o livro amanhã não faz sentido comprá-lo.

A determinada altura fui incluído na conversa e referi que muito frequentemente cometo esse erro de comprar livros que não sei quando vou ler. Muito frequentemente mesmo, ou seja, todos os meses isso acontece. Não fui apelidado de parvo, mas quase.

Confesso muito arrogantemente que não me dei ao trabalho de argumentar, porque, na minha opinião alguém que tem esta visão em relação aos livros é alguém que dificilmente terá capacidade para assimilar / compreender a real essência de quem gosta de livros, das razões porque os compra, no fundo a relação que tem com os livros.

Ainda assim, confesso que me faz confusão que as pessoas vejam um livro com uma mala: não faz sentido comprar se não for para usar. Não é precisa considerar, como eu, que o livro é um bem de primeira necessidade. Basta que se lhe atribua de facto algum valor e importância. Que se entenda que um livro não é um objeto decorativo, que deve fazer parte de uma casa, não para ser um bibelot, mas para poder ser consultado, lido. Criar uma biblioteca é algo desejável não é uma anomalia.

Acho que este tipo de pensamento explica muita coisa que se passa hoje na nossa sociedade.

Novidade - "O Olho do Mundo - Livro 1 de A Roda do Tempo " de Robert Jordan

05.03.19

a23.jpg

 

Sinopse:

O mundo da Roda do Tempo é uma das melhores séries de fantasia épica alguma vez escrita.

A Roda do Tempo gira e as Eras sucedem-se, transformando memórias em lendas. As lendas esbatem-se e fazem-se mitos e até estes estão há muito esquecidos quando a Era que os gerou regressa, trazida pelo movimento incessante da Roda.

Na Terceira Era, a Idade da Profecia, o Mundo e o Tempo encontram-se suspensos, em frágil equilíbrio. Uma única verdade resiste e aquilo que os mortais esquecem mantém-se vivo na memória das Aes Sedai. Quando as Trevas se reerguerem caberá a um homem apenas, o Dragão, combatê-las. Mas aquilo que foi, o que será e o que agora é ainda podem cair sob o poder da sombra…