Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ministério dos Livros

Um blog sobre livros e seus derivados

28
Fev19

Dava um bom retiro livresco 38

13.jpg

Eliminava a pele do animal (não faz nada o meu género) mas de resto podia ficar assim. Mesmo não sendo grande fão de preto acho que até fica interessante. Acima de tudo parece ficar num local bem sossegado da casa, coisa que interessa sempre.

28
Fev19

Novidade - "As Bênçãos da Civilização" de Mark Twain

123.jpg

 

Sinopse:

O título é de escárnio e dispensa explicações: As Bênçãos da Civilização é uma colecção de ensaios, cartas, discursos e sátiras que revelam Mark Twain como o cronista da desonra americana. Em textos ferozes contra a guerra, o colonialismo e o racismo, escritos entre 1870 e 1908, Twain aborda tanto as infâmias dos Estados Unidos (Cuba arrancada aos Espanhóis, a carnificina nas Filipinas, a segregação de chineses na Califórnia, o linchamento de negros no Sul) como as tiranias das nações europeias no globo.

Do pacifismo profano de «A Oração de Guerra» à candura corrosiva em «O Amigo de Goldsmith de Novo no Estrangeiro», passando pela grotesca personagem do «Solilóquio do Rei Leopoldo», As Bênçãos da Civilização é uma denúncia de patriotismos hipócritas e vocações civilizadoras - com o humor negro e perfurante de Mark Twain, em linhas de uma assombrosa actualidade.

27
Fev19

Livros e Filmes - "Molly´S Game"

519SovaqlDL__SX330_BO1,204,203,200_.jpg

 

No passado fim de semana esbarrei num filme que tinha gravado e cujo conteúdo nem conhecia bem, “Jogo da Alta Roda” ou no original “Molly´s Game”, como Jessica Chastain, Idris Elba e Kevin Costner nos principais papéis.

A história, fiquei, entretanto, a saber é biográfica. Retrata a forma como Molly Bloom geriu no início do século XXI um jogo de poker exclusivo com apostas altas, frequentado apenas por celebridades de Hollywood, do mundo do desporto, dos negócios e até da máfia russa.

Vários anos depois foi apanhada pelo FBI. O filme retrata não só o percurso, mas também a fase de defesa de Bloom perante as acusações.

Uma boa parte do filme é narrado pela própria (no caso pela atriz que a representa) e a ideia com que se fica é que se tratam de excertos reais do livro que deu origem ao filme.

De facto, o filme é totalmente, e tanto quando percebi, fielmente, baseado na biografia de Molly Bloom, precisamente “Molly´s Game” e passa a ideia de estar muito bem conseguido.

Apesar de não estar traduzido em português fiquei bastante curioso em relação à história e considerando que o livro custa pouco mais de 10 € e que cá em casa existe mais um elemento com interesse na sua leitura, parece-me que via ser uma aquisição a breve prazo.

Sobre o livro ainda não me posso pronunciar, mas sobre o filme posso dizer que recomendo vivamente!

27
Fev19

Novidade - "Maquinas Infernais - Trilogia Engenhos Mortíferos - Livro 3" de Philip Reeve

111.jpg

 

Sinopse:

Num futuro longínquo, pós-apocalíptico, milhares de anos após a Grande Guerra dos Antigos, que praticamente destruiu o mundo em sessenta minutos, as pessoas passaram a viver em enormes cidades-naves movidas por potentes engenhos de tração e protegidas das radiações do exterior.

Todas elas são predadoras, sendo as mais fortes capazes de incorporar as mais fracas e escravizar os seus habitantes, segundo o Darwinismo Municipal .

Tom Natsworthy e Hester Shaw correram múltiplos perigos até encontrarem refúgio em Anchorage, a sumptuosa e decadente metrópole, que se estabeleceu nas costas do Continente Morto (a América do Norte), onde a natureza se regenerara e readquirira uma atmosfera respirável e solo fértil. Aí vivem pacificamente com a filha de 15 anos, Wren.

Contudo, quando os Meninos Perdidos entram de novo em cena, tudo recomeça.

Esta é mais uma fantástica e arrebatadora sequela da série Engenhos Mortíferos, cujo primeiro volume foi adaptado ao cinema por Peter Jackson.

26
Fev19

Novidade - "Em Tudo Havia Beleza" de Manuel Vilas

aaaaaaar.jpg

 

Sinopse:

Impelido por esta convicção, Manuel Vilas compõe, com uma voz corajosa, desencantada, poética, o relato íntimo de uma vida e de um país. Simultaneamente filho e pai, autor e narrador, Vilas escava no passado, procurando recompor as peças, lutando para fazer presente quem já não está. Porque os laços com a família, com os que amamos, mesmo que distantes ou ausentes, são o que nos sustém, o que nos define. São esses mesmos laços que nos permitem ver, à distância do tempo, que a beleza está nos mais simples gestos quotidianos, no afecto contido, inconfessado, e até nas palavras não ditas.

Falando desde as entranhas, Vilas revela a comovente debilidade humana, ao mesmo tempo que ilumina a força única da nossa condição, a inexaurível capacidade de nos levantarmos de novo e seguirmos em frente, mesmo quando não parece possível. É desenhando um caminho de regresso aos que amamos que o amor pode salvar-nos.

Confessional, provocador, comovente, Em tudo havia beleza é uma admirável peça de literatura, em que se entrelaçam destino pessoal e colectivo, romance e autobiografia. Manuel Vilas criou um relato íntimo de perda e vida, de luto e dor, de afecto e pudor, único na sua capacidade de comover o leitor, de fazer da sua história a história de todos nós.

25
Fev19

Leitura - "O Espião Inglês" de Daniel Silva

a4.jpg

 

Já está concluída mais uma leitura e mais um livro de Daniel Silva, neste caso “O Espião Inglês”.

Ainda hoje tenho muitas dúvidas quando alguém me pergunta qual é o meu livro favorito, mas autor favorito não tenho dúvidas é Daniel Silva.

É curioso porque nenhum dos seus livros figuraria num eventual top 5 que decidisse criar dos meus livros favoritos de sempre. Mas a explicação não é difícil. Eu sou fã incondicional do mundo que Daniel Silva criou nos seus romances que tem como personagem central o espião israelita Gabriel Allon. É a continuação da saga que me atrai e que agrada.

Ler um livro de Daniel Silva / Gabriel Allon é puro prazer. E este último não foi exceção, antes pelo contrário, terá sido um dos melhores das 15 histórias que já li e que tiveram Allon como personagem central.

É um livro muito bem construído, informado, plausível até para uma história de espiões. Daniel Silva constrói as suas histórias com grande mestria. Tem uma fórmula base que utilizada de forma muito inteligente. É um verdadeiro mestre.

A todos os que possam ler estas palavras e que naturalmente apreciem este género literário, se não leram Daniel Silva não sabem o que estão a perder!

25
Fev19

Novidade - "No Armário do Vaticano" de Frédéric Martel

adssadadad.jpg

 

Sinopse:

Durante quatro anos, Frédéric Martel percorreu os meandros do Vaticano e conduziu uma investigação no terreno em mais de trinta países. Entrevistou dezenas de cardeais e encontrou-se com centenas de bispos e de padres. Este livro revela a face escondida da Igreja: um sistema construído desde os mais pequenos seminários até ao Vaticano, assente, ao mesmo tempo, sobre uma vida homossexual escondida e sobre a mais radical homofobia. A esquizofrenia da Igreja é insondável: quanto mais um prelado é homofóbico em público mais provável é que seja homossexual na vida privada.

«Por detrás da rigidez há sempre qualquer coisa escondida: em numerosos casos, uma vida dupla.» Ao pronunciar estas palavras, o papa Francisco tornou público um segredo que esta investigação vertiginosa explora, pela primeira vez, com grande detalhe.

24
Fev19

Novo livro do autor de “A Estrada Subterrânea”

Untitledddd.png

 

Colson Whitehead: em 2017 este autor foi um dos mais falados devido ao seu livro “A Estrada Subterrânea”, ou na versão original “Underground Railroad”.

O livro ganhou dois dos principais prémios literários nos EUA – O Pulitzer e National Book Award e esteve na long list para o Booker Prize e foi sobejamente elogiado por grandes personalidades como Barack Obama.

Aqui neste espaço foi também a minha escolha para leitura do ano 2017.

Estes post surge porque o autor vai lançar um novo livro este ano em julho, e naturalmente a expetativa é grande considerando o êxito obtido com “Underground Railroad”.

O livro tem como título “The Nickel Boys” e a história voltar a girar sobre o tema da segregação racial nos EUA.

Enquanto não chega o novo deixo mais uma vez a recomendação para leitura do livro A Estrada Subterrânea”. Vale muito a pena.

24
Fev19

Novidade - "Um Clarão de Luz" de Jodi Picoult

a111.jpg

Sinopse:

Um dia quente de outono começa como qualquer outro no Centro - uma clínica que presta cuidados de saúde reprodutiva a mulheres. Como habitualmente, os seus funcionários acolhem as pacientes que ali se encontram para aconselhamento e tratamentos. de repente, pelo final da manhã, um homem armado entra nas instalações e começa a disparar, causando feridos e fazendo reféns.

O agente de polícia Hugh McElroy, especialista em negociar a libertação de reféns, estabelece um perímetro de segurança e traça um plano para comunicar com o atirador. ao olhar sub-repticiamente para as mensagens recebidas no seu telemóvel, apercebe-se, horrorizado, de que Wren, a sua filha de apenas quinze anos, se encontra no interior da clínica.

Wren não está só. Ela vai partilhar as horas seguintes, sob um clima de grande tensão, com outras pessoas : uma enfermeira em pân ico, que tem de se autocontrolar para salvar a vida de uma mulher ferida; um médico que põe a sua fé à prova como nunca antes acontecera; uma ativista pró -vida, que se tinha feito passar por paciente e é agora vítima da mesma raiva que ela própria sentia; uma jovem que quer abortar. e o próprio atirador, completamente transtornado, a querer ser ouvido.

Uma narrativa que equaciona a complexa temática dos direitos das mulheres grávidas e dos direitos dos seres que elas estão a gerar, além de refletir sobre o significado de ser boa mãe e bom pai.

Um romance desafiador, absorvente e apaixonante.

23
Fev19

Prémio Livro do Ano 2018 da Bertrand

Formulario_Livro_Ano_2018.png

Está a decorrer para os leitores da Bertrand (penso que para poderem votar de receber um email da editora) a votação para livros do ano 2018.

Eu já votei, embora me tenha sentido bastante diminuído ao fazê-lo porque da panóplia de livros apresentados nas várias categorias, Ficção Lusófona, Autores Estrangeiros, Reedição de Obras Essenciais e Poesia, li apenas dois livros e ambos de Autores Estrangeiros, mais concretamente: “Um Gentleman em Moscovo” de Amor Towles e “Um Cavalo Entra Num Bar” de David Grossman. Entre os dois a minha escolha foi para “Um Gentleman em Moscovo”, que, conforme ti oportunidade de referir aqui nas minhas escolhas de 2018 foi um dos meus livros favoritos.

Apesar de ter lido apenas dois livros da lista apresentada identifiquei pelo menos três que continuam na calha para leitura em 2019. Como de costume ando sempre com leituras em atraso...

23
Fev19

Novidade - "A Sexta Extinção" de Elizabeth Kolbert

a12.jpg

 

Não se trata de uma novidade efetiva mas de uma reedição. É mais um dos livros que está na minha pilha (literalmente) em lista de espera. É "só" um vencedor de um um Pulitzer.

Sinopse:

Leitura recomendada por Yuval Noah Harari, Al Gore, Bill Gates e Barack Obama, entre outras personalidades mundiais.

Nos últimos 500 milhões de anos, a Terra passou por cinco extinções em massa, nas quais a diversidade da vida no planeta se reduziu drástica e subitamente. Atualmente, e pela primeira vez na História, decorre um processo de extinção em massa provocado por uma única espécie: o Homem. Nos últimos dois séculos, provocámos danos irreparáveis no clima e ecossistema global; como consequência direta, mais de um quarto de todos os mamíferos da Terra está hoje em vias de extinção, tal como acontece com 40% dos anfíbios, um terço dos corais e dos tubarões, um quinto dos répteis e um sexto das aves.

Considerado um dos livros de divulgação científica mais relevantes dos últimos anos, A Sexta Extinção é leitura recomendada por personalidades como Yuval Noah Harari, Al Gore, Bill Gates ou Barack Obama. Neste seu valioso trabalho, Elizabeth Kolbert combina os resultados de uma extensa investigação no terreno com a história das ideias e o trabalho de geólogos, botânicos e biólogos marinhos, produzindo um documento inédito e, mais do que isso, um apelo urgente para que, repensando o nosso papel no planeta, não deixemos como derradeiro legado uma sexta extinção.

22
Fev19

Compro livros no OLX mas apenas em mãos

GettyImages-513744764-5a8223b231283400362d5c34.jpg

 

Já aqui referi inúmeras vezes que a maioria das minhas compras de livros é realizada por via do OLX. Compro livros completamente novos e livros já usados. É-me indiferente desde que estejam estimados. Estarem estimados é um critério que tenho porque como eu trato muito bem os meus livros não compro livros que não esteja bem tratado.

Todas as compras que fiz até hoje foram realizadas com entrega em mãos. Nunca fiz uma compra que implicasse transferência bancária com envio posterior de um livro por falta de confiança no processo. Pagar primeiro e receber depois é sempre arriscado neste tipo de negócio. A coisa pode correr mal por várias razões.

Confesso que não consigo ter confiança em vendedores que não entregam em mãos em local algum e insistem que enviam apenas pelo correio quando nos disponibilizamos para recolher um livro em qualquer local.

Um dia destes procurei ultrapassar este meu receio porque encontrei uma vendedora que tilha um lote livros em que tinha mesmo interessa. Questionei como funcionava, disse-me que só enviada pelo correio. Então pedi-lhe um contacto para perceber melhor o processo já que iria fazer uma transferência para uma desconhecida. Pelo menos falar com a pessoa pelo telefone. Precisei de insistir duas vezes um pedido de resposta e por fim a pessoa em causa respondeu que não facultava.

Ora bem, a questão é: Se o método já não é totalmente fiável e a pessoa ainda se recusa a ser contactada telefonicamente, o potencial comprador não tem alternativa senão pensar mesmo que se trata de um esquema. A quem está a vender não basta ser sério é preciso também parecer sério.

Moral da história: ainda estou à espera para comprar dois ou três livros que quero mesmo, mas pelo menos não perdi dinheiro. Vou continuar a fazer os meus negócios em mãos.

22
Fev19

Novidade - "Football Leaks" de Rafael Bushmann e Michael Wulzinger

250x.jpg

 

Sinopse:

Um anónimo apaixonado por futebol.

18,6 milhões de documentos confidenciais.

Durante sete meses, seis jornalistas e repórteres de imagem trabalharam em conjunto com especialistas informáticos e advogados para darem ao mundo um olhar sem precedente sobre os meandros da indústria do futebol.

Um livro explosivo, chocante sobre os negócios clandestinos nos bastidores do futebol mundial.

21
Fev19

As crónicas de MEC e livros, mais uma vez...

Book vs Internet.jpg

 

Não é a primeira vez que aqui falo das crónicas de Miguel Esteves Cardoso (MEC) e certamente não será a última. Apesar de ser leitor assíduo, só aqui falo delas quando tem que ver com livros, como foi o caso da crónica de dia.

A crónica é extremamente simples e ao mesmo tempo profunda (na minha opinião, claro) no sentido em que relata de forma crua a dicotomia livros vs. internet e como o acesso fácil a informação faz com que não utilizemos os livros, em particular os de consulta, como os dicionários.

Registo em particular esta frase: “Alguns (livros) já gemem quando são abertos. Passam-se anos sem mostrar as folhas. A culpa é minha, não é da Internet.”

Se tiverem oportunidade leiam. É brilhante. Nome da crónica é “A culpa é minha”. Disponível aqui.

21
Fev19

Novidade - "O homem das castanhas" de Søren Sveistrup

aaa1.jpg

 

Sinopse:

Uma tempestuosa manhã de Outubro. Num tranquilo subúrbio de Copenhaga, a Polícia faz uma descoberta terrível. No recreio de um colégio, uma jovem é encontrada brutalmente assassinada, e falta-lhe uma das mãos. Pendurado por cima dela, um pequeno boneco feito com castanhas.

A jovem e ambiciosa detective Naia Thulin é designada para desvendar o caso. Com o seu colega Mark Hess, um investigador que acabou de ser expulso da Europol, descobrem uma misteriosa prova sobre «o homem das castanhas», nome com que os media baptizaram o assassino. Existem evidências que o ligam a uma menina que desapareceu um ano antes e foi dada como morta: a filha da ministra Rosa Hartung.

Mas o homem que confessou o assassínio da menina, um jovem que sofre de uma doença mental, já está atrás das grades e o caso há muito tempo fechado. Quando uma segunda mulher é encontrada morta e, junto dela, mais um boneco de castanhas, Thulin e Hess suspeitam de que possa haver uma ligação entre o caso Hartung e as mulheres assassinadas.

Mas qual é a relação entre as duas mortes? Thulin e Hess entram numa corrida contra o tempo. O assassino tem uma missão e está longe de a terminar.

20
Fev19

Book quote

book qoute2.png

Quem já escreveu, ou tentou escrever, alguma coisa sabe que esta frase é verdadeira. O problema, pelo menos no meu caso, é gerir as primeiras ideias, mas uma vez atingido esse objetivo, diria que o Sr. Steinbeck tem toda a razão.

 

20
Fev19

Novidade - "Filhos da Terra" de António Manuel Hespanha

abaaa.jpg

 

Sinopse:

A história da expansão portuguesa contada às avessas: não do ponto de vista da metrópole, mas sim do ponto de vista daqueles que partiram e se instalaram nas margens do império português

António Hespanha, um dos grandes historiadores de Portugal, alcança neste livro um feito singular: conta uma história que todos conhecemos - a da expansão portuguesa - revelando-nos a perspectiva que até aqui ignorámos. É a perspectiva de quem deixou o país para não voltar e dos descendentes que, ao longo dos séculos, formaram as comunidades de «portugueses» no Brasil, em África e no Oriente.

E é também a perspectiva desses lugares remotos, fora do controlo da coroa, das populações nativas e dos outros estrangeiros que deixaram testemunho sobre esta gente assimilada. Nesta nova historiografia, o «império na sombra» ganha uma visibilidade luminosa. Ele é, na verdade, o império da gente comum, dos que escolhiam as margens ou eram relegados para elas, dos que precisavam de arriscar para sobreviver nos negócios, dos que cruzavam as barreiras da casta e da raça no convívio, nos negócios ou nos amores, dos que trocavam o vernáculo pelo pidgin, dos que partilhavam fidelidades políticas ou religiosas impartilháveis, dos que viviam no fio da navalha da vida de renegados ou de soldados de fortuna.

Filhos da Terra alheia-se da história institucional e do discurso da metrópole para nos contar como é que a gente comum emigrou, como se adaptou a contextos «exóticos», de que modo os locais olhavam para estes «portugueses», e de que modo a sua posição e o seu poder relativos foram variando em cada lugar. Um livro que é também um exercício crítico de forças mitificadoras do nacionalismo português e do carácter benigno da colonização portuguesa. Uma história social da expansão, em vez de uma história que se esgota numa cronologia de descobrimentos, numa prosopografia de heróis e santos, ou numa contabilidade de conquistas, de canhões e de convertidos.

19
Fev19

Livros tugas que ganham prémios lá fora

az.jpg

 

Encontrei este fim de semana uma notícia muito agradável: um livro português venceu um prémio numa feira do livro internacional, mais concretamente na Feira do Livro Infantil e Juvenil de Bolonha, Itália.

Trata-se do livro ilustrado "Atlas das viagens e dos exploradores", de Isabel Minhós Martins e Bernardo P. Carvalho, da editora Planeta Tangerina que venceu o prémio de “Não-Ficção”.

O livro é uma compilação de várias biografias de personalidades que exploraram o mundo ao longo dos séculos contribuído através da sua exploração para o dar a conhecer aos outros.

Uma curiosidade: fiquei ainda a saber que a Planeta Tangerina, foi eleita em 2013, na mesma feira do livro, a melhor editora da Europa de literatura para a infância e juventude. Muito bom!

Os meus parabéns aos autores e à editora!

19
Fev19

Novidade - "Páginas Esquecidas" de Agostinho da Silva

aqq.jpg

 

Sinopse:

«Procurando fornecer ao maior número possível de pessoas os conhecimentos bastantes, "uma informação quanto possível certa e objetiva sobre o que no mundo significa progresso", publicou Agostinho entre 1938 e 1947, em 125 cadernos, num total de cerca de três mil páginas, uma síntese do saber humano. Nascidos sob o desígnio de abranger o maior número possível de áreas do saber, estabelecendo, de forma sólida, os alicerces de uma cultura geral, os Cadernos de Agostinho contribuíram em grande escala para a formação integral dos jovens e adultos de todas as classes sociais, em suma, da massa geral da nação.» (Do Prefácio de Helena Briosa e Mota)

Inclui:
Uma nota autobiográfica;
Seis palestras radiofónicas;
Cadernos de Divulgação Cultural (textos para a mocidade e juventude; cadernos de informação cultural; introduções aos grandes autores; guia de leitores);
Fac-símiles, fotos e ilustrações.

Pág. 1/3

Um Leitor

foto do autor

Livros de 2019

2019 Reading Challenge

2019 Reading Challenge
Um Leitor has read 0 books toward their goal of 25 books.
hide

O Leitor está a ler

O Leitor também está a ler

Parcerias

Ministério dos Livros no Instagram

Email do Blog

blogministeriodoslivros@gmail.com

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Calendário

Fevereiro 2019

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
2425262728