Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ministério dos Livros

Um blog sobre livros e seus derivados

31
Jan19

As minhas compras de janeiro

123.png

Terminado o mês de janeiro fiz um ponto de situação das compras que realizei, na esmagadora maioria dos casos por via do OLX. No total comprei seis livros, quatro para abater diretamente na minha wishlist e mais dois que, não estando, poderiam estar na wishlist, aproveitei o facto de estarem a bom preço e o facto de serem dois livros que já tinha intenção de comprar.

Então, para abater à wishlist temos “Fascismo” de Madeleine Albright, “Antes de eu partir” de Paul Kalanithi, “A última porta antes da noite” de António Lobo Antunes e “O que o CEO quer que saiba” de Ram Charan.

Adicionalmente, e não previsto, adquiri “Jerusalém” de Gonçalo M. Tavares e ainda “O Gigante Enterrado” de Kazuo Ishiguro.

Tento comprar livros que pretendo, ou pelo menos espero, que façam parte das minhas leituras de 2019, mas já sei que será difícil.

31
Jan19

Novidade - "Coração Duplo" de Marcel Schwob

asdadsadada.jpg

 

Sinopse:

«O coração do homem é duplo; nele o egoísmo compensa a caridade; a pessoa é o contrapeso das massas; a conservação do ser conta com o sacrifício dos outros; os polos do coração estão no fundo do eu e no fundo da humanidade.»

Estreia literária de Marcel Schwob, marcada por um estilo novo de fantástico, influência maior para o surrealismo vindouro de André Breton ou o imaginário de Jorge Luis Borges, Coração Duplo ocupa um lugar de destaque na Literatura mundial.

Ao longo das suas páginas, sob o signo do Terror e Piedade, desfilam cenários de banquetes faustosos na antiga Roma, ambientes góticos da Paris medieval ou relatos apocalípticos de sociedades futuras, onde o absurdo e o sobrenatural se encontram com o humor negro, e o medo espreita na fantasia do sonho.

Assumindo claramente a influência de Robert Louis Stevenson, a quem dedica este livro, Marcel Schwob cria um conjunto de contos baseados no conceito aristotélico do terror e piedade que deveria estar na base de toda a ficção.

30
Jan19

Novidade - "A Alma dos Lugares" de Colin Ellard

aaaaaa.jpg

 

Sinopse:

O meio envolvente tem uma influência decisiva no ser humano. Afeta os nossos pensamentos, as nossas emoções e a nossa resposta física, quer nos sintamos deslumbrados pelo Grand Canyon ou pela Basílica de São Pedro, em pânico numa sala lotada, ou tentados nos casinos e nos centros comerciais.

Em A Alma dos Lugares, o psicólogo e investigador na área da neurociência Colin Ellard explica como as nossas casas, os nossos locais de trabalho, as cidades que habitamos e, claro, a natureza nos vêm influenciando ao longo da história, e dá conta de como o cérebro e o corpo respondem de forma diferente aos espaços reais e virtuais. Neste livro fascinante, publicado em vários países, este especialista na dinâmica entre a psicologia, a arquitetura e a geografia - a que chama psicogeografia - analisa também a influência que as tecnologias têm no meio envolvente, questionando o leitor sobre o tipo de mundo que estamos a criar.

A Alma dos Lugares é um livro imprescindível para entendermos o nosso tempo e aquilo que somos.

29
Jan19

Aquilo que eu leio é melhor do que aquilo que tu lês

books.png

 

Um dia destes assisti a uma discussão entre duas pessoas sobre preferências de leitura. A primeira criticava ferozmente a nova literatura erótica, nomeadamente os livros e E. L. James (50 Sombras de Grey) que a segunda dizia ter devorado. Dizia a primeira que esse tipo de livros não são literatura nem são nada, enquanto a segunda dizia que são histórias como quaisquer outras. O tom da primeira era claramente jocoso e de inferiorização da segunda e o massacre durou até a segunda pessoa desistir e ir à vida dela.

No contexto da discussão a primeira pessoa nunca mencionou o seu tipo de leituras, mas mais tarde no dia pude verificar que tinha consigo o livro “Engenhos Mortíferos” de Philip Reeve, um livro que se insere no campo do fantástico.

Hoje em dia há literatura que chegue para preencher os gostos de toda a gente, e muito honestamente, não percebo atitudes como a referida acima. Quem é esta pessoa para julgar alguém por ler as “50 sombras”, quando lê um género literário que também não é da linha dita tradicional?

Há livros que eu sei que nunca vou ler, porque não me interessam minimamente, mas embora não perceba a 100% a atração que outras pessoas possam ter por esses livros, entendo que são gostos e obviamente respeito. Não entro no campo do “aquilo que eu leio é melhor do que aquilo que tu lês”.

Todos temos a nossa opinião sobre o facto de haver por aí literatura boa e literatura má, mas também é verdade que esta avaliação depende sempre do ponto de vista do utilizador, é subjetivo. E a verdade é que mais vale ler, seja lá o que for, do que não ler. Se a pessoa sente gozo no que está a ler o primeiro objetivo da leitura está cumprido. É sempre preferível a não ler nada.

29
Jan19

Novidade - "O Rapaz que Seguiu o Pai para Auschwitz" de Jeremy Dronfield

aaasd.jpg

 

Sinopse:

A inspiradora luta de um pai e um filho para permanecerem juntos e sobreviverem ao Holocausto. Uma história real verdadeiramente emocionante.

Viena, anos de 1930. A família Kleinmann vive um dia-a-dia pacato e tranquilo. Gustav trabalha como estofador e Tini trata da casa e dos quatro filhos: Fritz, Edith, Herta e Kurt.
Mas, com a anexação nazi da Áustria, a normalidade da vida dos Kleinmann dissipa-se abrupta e dramaticamente. Os vizinhos viram-se contra eles, o negócio de Gustav é-lhe retirado e a ameaça paira sobre toda a família de forma cada vez mais alarmante.

Gustav e Fritz são dos primeiros judeus austríacos a ser presos. Destino: Buchenwald, na Alemanha. Assim começou uma inimaginável provação - várias vezes espancados, quase mortos à fome e brutalmente forçados a construir o próprio campo de concentração em que estavam detidos. Ao longo dos horrores que testemunharam e do sofrimento por que passaram, uma constante ajudou a mantê-los vivos: o amor entre pai e filho.

Quando Gustav recebeu ordem de transferência para Auschwitz, uma sentença de morte certa, Fritz viu-se perante um dilema: deixar o pai morrer sozinho ou ir com ele... Baseado no diário secreto de Gustav e numa meticulosa pesquisa documental, este livro conta a sua história, e a de Fritz, pela primeira vez - uma história única e absolutamente incrível de coragem, amor e sobrevivência face ao terror sem paralelo que foi o Holocausto.

O Rapaz Que Seguiu o Pai para Auschwitz confronta-nos com o pior e o melhor da humanidade. E com o espantoso poder do afecto e do espírito humano.

28
Jan19

E pronto, esta é, mais ou menos, a minha wishlist...

12.png

 

Estive a fazer um levantamento dos livros que tenho neste momento debaixo de olho e, em função disso, atualizei a minha wishlist.

No total são “apenas”, nada de especial, já que depois de concluir a montagem já dei conta que me faltam pelo menos mais dois, e se estivesse mais tempo a pensar de certeza que me ocorreriam mais alguns.

Como o budget é limitado, nos próximos tempos só espero adquirir uma pequena parte, embora conte com o OLX para me ajudar a reduzir custos e com isso conseguir aumentar o número de aquisições.

28
Jan19

Novidade - "O Mel do Leão - O mito de Sansão" de David Grossman

aaaaaaa.jpg

Sinopse:

«Há poucas outras histórias na Bíblia com tanto drama e ação, tanto fogo de artifício narrativo e emoção pura, como os que encontramos no conto de Sansão: a batalha com o leão; as trezentas raposas a arder; as mulheres com quem dormiu, e a única que amou; a traição por parte de todas as mulheres da sua vida, desde a sua mãe Dalila; e, no final, o seu suicídio homicida, quando fez desabar a casa sobre si próprio e três mil filisteus. Contudo, para além da fera impulsividade, do caos e do barulho, podemos entrever uma história de vida que é, no fundo, a viagem atormentada de uma alma isolada, solitária e turbulenta, que nunca encontrou, em lado algum, um verdadeiro lar no mundo, cujo corpo era ele próprio um duro lugar de exílio.»

Em O Mel do Leão, David Grossman escolhe um dos mais vivos e controversos personagens da Bíblia. Ao revisitar a famosa luta de Sansão com o Leão, as suas muitas mulheres e a traição de todas elas - incluindo a única que ele amou - Grossman dá-nos uma provocatória visão da história e do seu clímax, a última ação mortal de Sansão quando faz ruir um templo sobre ele próprio e milhares de filisteus.

Numa prosa extremamente lúcida, Grossman revela-nos a vida de uma alma só e torturada, que nunca encontrou uma verdadeira casa no mundo, que nunca se sentiu bem no seu corpo e que, poderão dizer alguns, foi o percursor dos modernos bombistas suicidas.

Uma viagem fascinante e controversa pela história e psicologia de uma das personagens mais significativas da Bíblia, que lança um novo olhar sobre o passado, projetando-o no mundo de hoje.

27
Jan19

Novidade - "Imortalidade" de Rachel Heng

assaa.jpg

 

Sinopse:

Um romance que se desenrola no futuro próximo, em Nova Iorque, onde a esperança de vida ronda os 300 anos e a imortalidade é o único valor que verdadeiramente importa. É neste contexto que Lea tem de decidir entre o seu pai ou viver eternamente.

Lea Kirino tem um conjunto de dados genéticos que lhe confere um potencial de eternidade se fizer tudo bem feito. E Lea é muito bem-sucedida. É uma corretora de sucesso na Bolsa de Nova Iorque onde, em vez de ações se transacionam órgãos humanos, tem um apartamento sublime e um noivo que rivaliza com ela em perfeição genética. Com a ajuda adequada da HealthTech, uma rigorosa dieta de sumos e exercícios de baixa intensidade, tem a vida eterna ao seu alcance. Mas a vida perfeita de Lea sofre uma reviravolta quando, num passeio cheio de transeuntes, se cruza com o pai, supostamente distante. O seu regresso desencadeia uma profunda mudança no comportamento de Lea, que se vê atraída para o mundo misterioso do Clube do Suicídio, uma rede de pessoas poderosas e revoltadas que rejeitam a busca da imortalidade pela sociedade e que preferem viver, e morrer, nos seus próprios termos.

Neste mundo futuro, a morte não é só um tabu, mas também altamente ilegal, e Lea tem de escolher entre uma existência imortal asséptica e um tempo curto e agridoce com um homem que é a sua única família no mundo…

26
Jan19

Piccola Farmacia Letteraria

47326329_2473284809355143_351296632249122816_n.jpg

Pequena Farmácia Literária, ou no original Piccola Farmacia Letteraria, é o motivo para este post. Trata-se de uma livraria que abriu em Florença, cidade de muito boas memórias para mim, cujo conceito passa pela ideia de farmácia – livraria, no sentido em que os livros são receitados como soluções para os problemas apresentados pelos leitores, contendo as mesmas caraterísticas dos medicamentos: indicações, posologia e efeitos secundários.

A promotora e dona da loja, Elena Molini explica que teve a ideia quando trabalhava numa grande livraria e começou a perceber que muita gente procurava livros para ultrapassar momento da vida que estavam a passar e para obterem respostas a problemas.

Vai dai pôs mãos à obra e criou em espaço onde tem disponíveis mais de 4 mil títulos divididos em 60 categorias. O espaço é pequeno, mas muito acolhedor.

A ideia em si acho que está extremamente bem conseguida, e indo a Florença novamente (como espero) será um espaço a visitar.

Deixo um vídeo com a apresentação e o link para o Facebook da Livraria.

 

26
Jan19

Novidade - "Astérix - O Segredo da Poção Mágica" de Olivier Gay com ilustração de Fabrice Tarrin

adssaas.jpg

Sinopse:

O quê?!
Os Gauleses mal podem acreditar!
Após ter dado uma queda, Panoramix decide que está na altura de assegurar o futuro da aldeia.

Acompanhado por Astérix e Obélix, percorre então o mundo gaulês à procura de um jovem druida talentoso a quem possa transmitir o segredo da poção mágica!

Mas o que ele não sabe é que o terrível Enxofrix, seu rival dos tempos da escola de druidas, engendrou um plano maquiavélico para se apoderar da receita da poção mágica.

Por Tutatis!
Se ele conseguir alcançar os seus objetivos, a aldeia está perdida!

25
Jan19

Leitura - "A Sociedade dos Sonhadores Involuntários" de José Eduardo Agualusa

asddadad.jpg

 

Continuando com os meus objetivos para 2019 no que diz respeito a leituras, e depois de ter lido Fernando Pessoa, estou a ler o segundo autor lusófono: José Eduardo Agualusa, mais concretamente “A Sociedade dos Sonhadores Involuntários”.

Já aqui tinha escrito no ano passado que era um dos autores que nunca tinha lido e sobre o qual tenho muito curiosidade, por isso no final do ano adquiri este livro já com o propósito de o tornar uma das primeiras leituras do ano.

25
Jan19

Novidade - "Maria - Rainha dos Escoceses" de John Guy

aaaa.jpg

 

Sinopse:

Duas rainhas, dois destinos interligados. Duas mulheres que mudaram o curso da História.

ASSASSINA. ADÚLTERA. HEROÍNA. RAINHA.

Rainha desde os doze dias e vivendo na corte francesa desde os cinco anos, Maria Stuart tinha dezasseis quando se tornou rainha de França, dezassete quando ficou viúva; e dezoito quando voltou à Escócia para desempenhar o seu papel de rainha numa terra conturbada. Fugindo às ideias preconcebidas sobre esta personagem, o autor através de um estudo minucioso retrata uma rainha astuta e consciente, que regressa à sua Escócia natal para reclamar o trono, sob o domínio da prima Isabel I de Inglaterra.
Maria, Rainha dos Escoceses, que nos é dada a conhecer ultrapassa a imagem de uma de mulher guerreira, perseguindo os inimigos com um elmo e espada em riste, mas de alguém que possuía uma grande habilidade política, num mundo essencialmente masculino.
Aos vinte e cinco anos ficou prisioneira de Isabel. A vida de Maria Stuart é um drama e um conflito inigualáveis.
Duas rainhas que mudaram o curso da História para sempre.
Uma dramática reinterpretação da vida de Maria, rainha dos escoceses, por um dos maiores historiadores contemporâneos.

24
Jan19

Leitura - "Como morrem as democracias” de Steven Levitsky e Daniel Ziblatt

ssdfsfdss.jpg

 

Há livros e livros, é uma verdade, diria eu, universal. É uma expressão que basicamente quer dizer que há livros e que depois existem “os livros”, aqueles que estão para além dos que gostamos. Que nos tocam ou nos ensinam verdadeiramente alguma coisa de substancial. Eu não distingo entre uma coisa e outra porque para mim são duas formas de me deixarem uma marca.

O livro que terminei ontem “Como morrem as democracias” de Steven Levitsky e Daniel Ziblatt, é caso desses casos. Um livro que me ensinou alguma coisa de substancial, que eu não sabia, que eu nunca me tinha apercebido. Foi uma injeção de conhecimento.

A própria capa do livro tem a melhor descrição possível sobre o que podemos vamos encontrar “o livro a ler sobre o atual estado da política norte-americana”. Inteiramente verdadeira, diga.se de passagem.

Para quem já se perguntou várias vezes sobre como foi possível Donald Trump chegar a presidente dos EUA, encontra neste livro uma resposta que vai muito mais a fundo do que aquilo que nos é dado a conhecer nas notícias, mesmo aqueles que tentam ir um pouco mais além.

Os autores, dois académicos de Harvard apresenta-nos uma análise detalhada da política americana e do declínio verificado na sua democracia nas últimas décadas, utilizando outros exemplos verificados pelo mundo, em particular na América Latina, onde a democracia também morreu, em resultado de vários tipos de situações.

Confesso que foi para mim assustador perceber que a realidade americana é em muito semelhante ao que acontece em países do terceiro mundo. É, ao mesmo tempo, chocante e clarificador de algumas situações que no passado tinha ficado sem grande explicação. Por outro lado, é também desolador perceber que os grandes EUA são, na prática, também muito pequenos.

Em resumo trata-se de um livro indispensável para quem gosta de perceber melhor as grandes questões do nosso tempo, o mundo real em que vivemos, e os contornos de um futuro que pode ser perigoso. Escrito de forma clara, precisa e muito bem defendida é um livro a não perder. Cinco estrelas.

24
Jan19

Novidade - "Léxico Familiar" de Natália Ginzburg

dasddsa.jpg

Sinopse:

Léxico Familiar é o principal livro de Natalia Ginzburg e um clássico da literatura italiana contemporânea. A narrativa acompanha a vida dos Levi, que viveram em Turim entre 1930 e 1950, período em que se assiste à ascensão do fascismo, à Segunda Guerra Mundial e aos acontecimentos que se lhe seguiram.

Natalia, uma das filhas do professor Levi, foi testemunha dos momentos íntimos da família e dessa conversa entre pais e irmãos que se converteu num idioma secreto. Nesta narrativa de pendor autobiográfico, os acontecimentos quotidianos misturam-se com reflexões que mantêm toda a atualidade.

O livro venceu em 1963 o Prémio Strega.

23
Jan19

Novidade - "Os Julgamentos de Nuremberga" de Bernard Michal

2.jpg

Sinopse:

Uma galeria de monstros onde o grande ausente foi Hitler.

Os Julgamentos de Nuremberga foram o mais importante processo internacional de todos os tempos. Tiveram início a 20 de novembro de 1945 e marcaram definitivamente o fim da Segunda Guerra Mundial. Os «crimes contra a Humanidade» ganharam novos contornos ao responsabilizar-se não só quem os praticou mas também aqueles que, pelos seus conselhos e influência, contribuíram para o deflagrar da guerra. Os alvos eram as mais altas personalidades do Terceiro Reich, civis e militares: Goering, Hess, Ribbentrop, Keitel ou Rosenberg. Hitler foi o grande ausente.

Como se chegou a semelhante processo? Teriam os Aliados o direito de se arvorarem em juízes e carrascos de um país e de um regime vencidos? Seria o processo legítimo? E se a guerra tivesse sido ganha pelos nazis, teria o mundo assistido a um «Nuremberga» ao contrário? Estas são algumas das questões a que este livro procura dar resposta.

Speer, um dos réus, declarará, ao reconhecer a culpabilidade do regime de Hitler: «Este processo é necessário. Mesmo sob uma ditadura, crimes tão abomináveis exigem uma responsabilidade comum. Seria uma desculpa inadmissível pretender escondermo-nos por detrás da obediência às ordens.»

22
Jan19

O Happy Meal agora oferece livros

mac.png

Regra geral sou a favor de qualquer medida que permita dinamizar livros e leituras, mais ainda se for junto dos mais pequenos, por isso só posso ficar satisfeitos pelo facto da McDonald’s ter decidido incluir no Happy Meal a possibilidade de escolher entre um brinquedo e uma história.

As histórias são da autoria da escritora britânica Cressida Cowell, conhecida pelo bestseller internacional “Como Treinares o Teu Dragão”. São 12 livros no total.

Enquanto cliente de Happy Meal da McDonald’s vou aproveitar, até porque cá em casa há sempre grande apreço quando há uma nova história para ler.

22
Jan19

Novidade - "Guerra e Terebintina" de Stefan Hertmans 

1.jpg

 

Sinopse:

Urbain Martien - um soldado flamengo que sobreviveu à Primeira Guerra Mundial - deixou ao neto dois cadernos contando a sua vida desde criança. Depois de muito tempo sem conseguir abri-los, o escritor Stefan Hertmans decidiu prestar-lhe homenagem reescrevendo essas memórias. E, à medida que lia as palavras do avô, encontrou a chave de muitos quartos que até então tinham permanecido fechados.

Da infância miserável nas igrejas a ver o pai pintar às trincheiras geladas da Flandres onde combateu; do casamento com a irmã da rapariga que amava à luta entre o que desejava ser e o que foi obrigado a tornar-se, Guerra e Terebintina é um livro com reminiscências de Sebald que cruza a biografia, o romance e a história e nos oferece o retrato de um herói anónimo pintado com a beleza de um fresco renascentista.

Pág. 1/4

Um Leitor

foto do autor

Livros de 2019

2019 Reading Challenge

2019 Reading Challenge
Um Leitor has read 0 books toward their goal of 25 books.
hide

O Leitor está a ler

Ministério dos Livros no Instagram

Email do Blog

blogministeriodoslivros@gmail.com

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Calendário

Janeiro 2019

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031